quinta-feira, Julho 06, 2006

IV Feira Transregional de Economia Solidária



A Associação Santana Cidade Solidária (ASCS) é a Agência Transregional de um Projecto denominado CORES – Cooperação Regional para a Promoção da Economia Solidária. Este é um projecto que tem como finalidade a promoção e a valorização dos produtos e tradições das três Regiões envolvidas – Açores, Madeira e Canárias.
À semelhança de anos anteriores, terá lugar uma Feira de Economia Solidária a decorrer na Ilha de São Miguel – Açores, entre os dias 13 e 16 de Julho do corrente ano, a qual tem como finalidade a troca de experiências entre os participantes e a divulgação de produtos e serviços.

quinta-feira, Junho 22, 2006

Fórum de Empreenddorismo Social

Fórum de Empreendedorismo Social
A Associação Santana Cidade Solidária organizou no passado dia 14 de Junho um Fórum de Empreendedorismo Social no Salão Nobre da Câmara Municipal de Santana. Esta acção foi destinada a instituições sem fins lucrativos, entidades e empresas do Concelho de Santana, onde se abordou a Economia Solidária, a sua interligação e articulação com a vertente social e económica.


Empreendedorismo Social é uma expressão adaptada ao nosso tempo e que combina a paixão de uma missão social com uma imagem de disciplina ligada à gestão, à inovação e à determinação.
Esta nova designação é importante no sentido em que implica uma diluição das fronteiras entre sectores. Para além de actividades inovadoras sem fins lucrativos, o Empreendedorismo social pode incluir actividades lucrativas com objectivos sociais.
Ainda que possamos desejar que haja mais comportamento empreendedor nos sectores económico e social, a sociedade tem necessidade de diferentes tipos de liderança. Os empreendedores sociais são uma estirpe especial de líderes e devem ser reconhecidos enquanto tal. Esta definição preserva o seu estatuto distintivo e assegura que o Empreendedorismo social não seja tratado com superficialidade.
A sociedade actual necessita que os empreendedores sociais nos ajudem a descobrir novos caminhos na direcção do progresso social, à medida que entramos numa era competitiva onde o factor económico impera.


Ordem de trabalhos:

- Vogal do Conselho de Administração do instituto regional de Emprego – Drª Rosário Serra Alegra - Programa de Emprego e Empresas de Inserção” e Economia Solidária;

- ASCS – Dr. Rui Moisés- A Primeira Empresa de Inserção Social na Região Autónoma da Madeira;

- Presidente do Instituto de Desenvolvimento Empresarial– Dr. Jorge Faria -Responsabilidade social das empresas;


- Presidente do Conselho Directivo do Centro de Segurança Social da Madeira – Dr. Roque Martins -A economia social. O seu papel e o seu futuro.


Objectivos:

- Compreender o conceito de Empreendedorismo Social;

- Demonstrar o papel das empresas enquanto promotoras do bem social;


- Mostrar novas oportunidades de negócio no espaço rural;


- Clarificar o Empreendedorismo Social para além das organizações sem fins lucrativos;


- Apontar o Empreendedorismo enquanto estratégia válida para a Inserção Social;


- Evidenciar o papel da Economia Solidária enquanto valorizadora das economias locais;


- Abordar a Igualdade de oportunidades;


- Articulação da vertente social e económica;

segunda-feira, Junho 05, 2006

Santana Moda Comprar



A Associação Santana Cidade Solidária organizou, no passado dia 3 de Junho, um desfile de moda. Este evento denominado “Santana Moda - Comprar” contou com a parceria da Associação de Jovens Empresários Madeirensese e teve lugar na Casa de Chá do Faial.
Esta iniciativa teve como objectivo geral prestar apoio e acompanhamento às empresas do Concelho de Santana e como objectivos específicos:
  • Promover e dinamizar as lojas locais e a oferta comercial existente no Concelho;
  • Aproximar e criar laços entre o comércio/ comerciante promovendo e dando visibilidade aos comerciantes.;
  • Mostrar a componente qualitativa dos artigos comercializados, dentro deste ramo de actividade;
  • Cimentar o tecido empresarial do pronto vestir e calçado do Concelho.

O comércio do Concelho esteve representado por Lojas de pronto-a-vestir, calçado, oculista, cabeleireiros, esteticista e floristas.
Nesta 1.ª Edição, o Presidente da Direcção da Associação Santana Moda Comprar, Dr. Rui Moisés, salientou o papel destas empresas no desenvolvimento sócio-económico do Concelho. A sua participação neste tipo de inicitivas promove não só os produtos e serviços como também cria novas actratividades para o consumidor local, valorizando desta forma as empresas e o comércio de Santana.

As lojas participantes foram:

The Best
Pronto-a-vestir das Galerias de São Jorge
Angel´s Boutique
Conforto do Bebé
Doce Lar
Millenium Modas Look
Trajectos
Santana´s Boutique

CABELEIREIROS, SAPATARIAS, MAQUILHAGEM E ACESSÓRIOS
Angel´s Boutique
Botina
Conforto do Bebé
Doce Lar
Salão Beauty Sena
Salão Celine Amim
Salão Lucília
Oculista da Alfândega
Olga´s Cabeleireiro
Trajectos

FLORISTA E DECORAÇÃO
O Canteiro
Flôr do Norte
EuroLareiras

segunda-feira, Maio 22, 2006

ASSOCIAÇÃO SANTANA CIDADE SOLIDÁRIA


Campo de Acção da Associação Santana Cidade Solidária


A Associação Santana Cidade Solidária (ASCS) surgiu a 10 de Julho de 2002. Está instalada numa Casa, junto à Casa do Povo de Santana, pertencente ao Governo Regional. Funciona das 09h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h30. De direito privado e dotada de personalidade jurídica sem fins lucrativos emergindo da sociedade civil, a ASCS é uma Instituição que tem como principal objectivo a promoção dos diferentes grupos etários da população das freguesias do Concelho de Santana, no que concerne aos aspectos sociais, económicos, culturais e desportivos.
A ASCS desenvolve um conjunto de actividades que abrange áreas como: o emprego, a inclusão social, o desenvolvimento económico local, o empreendedorismo social, a saúde, a formação profissional a cultura, entre outras. A ASCS aposta também na valorização dos recursos naturais e patrimoniais da nossa terra, tendo já em curso 2 Projectos no âmbito do INTERREG III B, com a finalidade de instalar o Museu do Vinho e da Vinha e Preservar os Valores Patrimoniais de Santana.

A sua natureza jurídica exige que a ASCS sobreviva do estabelecimento de parcerias com diversos agentes sociais, sendo por vezes as receitas insuficientes face às despesas que cada actividade implica. Desta forma, surgiu a necessidade de estabelecer uma estreita ligação com os sócios que desde início acreditaram na ASCS incentivando desta forma, através de inúmeras vantagens, potenciais sócios e parceiros a associarem-se às causas defendidas por esta Instituição. Isto porque, o relacionamento com a comunidade local é uma vertente estratégica pertinente, que contribui fortemente para o sucesso de uma boa integração na sociedade que a rodeia.

O envolvimento das empresas nas actividades locais da ASCS ou a promoção de iniciativas que tenham impacto directo na comunidade local ajuda a criar uma relação de confiança, a solidificar o relacionamento com líderes locais e com o público. Este é pois um dos aspectos determinantes para que se atinja um grau de notoriedade favorável no seio empresarial, conquistando novos mercados e afirmando-se perante estes através das suas políticas e dos serviços que presta.
Ao longo destes três primeiros anos de actuação da ASCS, destacam-se as seguintes vertentes:

1- Criação do Clube de Emprego, que visa ajudar, essencialmente os mais jovens, na procura do emprego, fazendo o elo de ligação entre empregadores e os candidatos aos empregos. Outra vertente deste Clube é o aconselhamento em termos de cursos de formação profissional dos jovens desta terra.

2- Instalação de uma Lavandaria Social Pública, cujo objectivo é o tratamento e manutenção de roupa dos idosos e pessoas impossibilitadas de o fazer. Neste momento, 38 utentes das Freguesias de Santana, Faial e São Roque do Faial, beneficiam deste serviço. O serviço inclui a recolha domiciliária das roupas que depois de lavadas, secas e engomadas são entregues no domicílio. Esta Lavandaria Social contou com o apoio de uma Associação luso-americana: Fundação J.B. Fernandes Memorial Trust, que subsidiou todo o equipamento industrial para a lavandaria, bem como uma viatura para recolha e entrega de roupa. Conta também com o apoio da Secretária Regional dos Assuntos Sociais e da Câmara Municipal de Santana.

3- A Associação Santana Cidade Solidária (ASCS), no âmbito da Iniciativa Comunitária INTERREG III – B coordena um projecto de Economia Solidária denominado CORES. Este projecto tem como objectivos fomentar a igualdade de oportunidades intra e interregional mediante o desenvolvimento de novas formas de criação de empresas de Economia Solidária.
O conceito de Economia Solidária tem como estratégia promover a inserção social de grupos de pessoas com grandes dificuldades de empregabilidade, através da criação de micro-empresas de Inserção que produzem artigos e prestam serviços nas áreas de turismo social, reciclagem, artesanato, gastronomia, agricultura biológica, turismo social, entre outros. Na RAM existem apenas duas empresas deste tipo, estando ambas sedeadas no Concelho de Santana, neste caso Caminhos Verdes que trata da manutenção e arranjo de espaços verdes no Concelho, e Doces Tradições que tem como actividade a produção do pão caseiro, broas, compotas e artesanato.
Tendo como associados ao projecto CORES várias instituições da Região Autónoma da Madeira, nomeadamente: Quinta Pedagógica dos Prazeres, Associação Sócio-Cultural da Fonte, Casa do Povo de São Martinho, ADNORMA, Doces Tradições e artesãos de Santana criando produtos tradicionais, a ASCS enquanto Agência Transregional responsável por este projecto na RAM abriu na sua sede em Santana uma loja que tem como principal objectivos comercializar e divulgar estes produtos. Elaborados de forma tradicional e artesanal, estes apresentam uma qualidade evidente oferecendo aos seus consumidores sabores de tradições antigas. A venda dos mesmos é feita também no Parque Temático da Madeira estando prevista para breve a abertura de um novo espaço no empreendimento Quinta do Furão.

4- Criação de uma Empresa de Inserção”Caminhos Verdes”, que visa promover formação direccionada, principalmente, para as pessoas beneficiárias do Rendimento Social de Inserção e para os desempregados de longa duração. Tem em vista possibilitar a integração plena de uma população que, apesar de jovem, estava desempregada, marginalizada, com todas as consequências familiares e sociais que daí advêm. As pessoas que integram este projecto deixam de auferir da habitual mensalidade do Rendimento de Inserção Social, passando a contar com um salário mínimo e o subsídio de alimentação. Este Projecto, de luta contra a exclusão social, visa a contratação de 15 mulheres em todo o Concelho durante 2 anos e meio, sendo os primeiros 6 meses destinados à formação, após a qual, os trabalhadores serão distribuídos pelas várias Freguesias. Daqui a 2 anos e meio, estarão aptos para integrar o normal mercado de trabalho, com a formação profissional adequada e experiência na actividade. Este projecto tem três fases, e tem o estatuto de empresa de inserção até 2011 onde se pretende integrar 45 indivíduos até o final do projecto.
O Projecto conta com o apoio da Câmara Municipal de Santana e das Juntas de Freguesia do Concelho. Esta iniciativa permitirá aos formandos tornar-se independentes com o seu emprego, deixando a situação de subsídio dependência e melhorando a sua qualidade de vida.

5- Realização da Mostra Gastronómica no primeiro fim-de-semana de Agosto (todos os anos). Tem como objectivos angariar fundos para a construção do Lar de Terceira Idade, promover as tradições gastronómicas da nossa terra e consequentemente incentivar os empresários da área da restauração presentes no certame.

6- Promoção de Encontros Intergeracionais, com o objectivo de promover diversas actividades e momentos de convívio aos idosos de todo o Concelho. Nestes Encontros actuam os diferentes grupos musicais e de animação de Santana, grupos estes, formados essencialmente por jovens, proporcionando o convívio entre estas duas faixas etárias. Nestes eventos, os idosos são simultaneamente espectadores e actores, uma vez que também preparam actividades para exibir, valorizando, deste modo, as suas aptidões e potencialidades.

7- Realização da Festa de Natal dos Idosos, cujo principal objectivo é festejar em conjunto, promovendo a partilha e o convivido. São os próprios idosos que preparam as actividades ligadas à época natalícia.

8- Assinatura de um Protocolo com a Associação de Jovens Empresários da Madeira, com vista a dar apoio aos jovens empresários do Concelho, dinamizar o tecido empresarial, reforçar a competitividade das empresas e fomentar o surgimento de novas empresa e empresários.

9- Assinatura de dois Protocolos com o Instituto de Juventude: um para que os jovens do Concelho tenham acesso a todos os Programas do Instituto Português de Juventude, o outro diz respeito à divulgação das Centros de Juventude da RAM e das Pousadas de Portugal, proporcionando aos jovens acesso facilitado.

10- Realização do Fórum de Saúde e Actividade Física, cujos principais objectivos são alertar para os malefícios do sedentarismo, responsável pelo aumento de diversas doenças, incentivar a prática do exercício e promover uma melhor qualidade de vida no Concelho.

11- Realização do Encontro Empresarial de Santana, com o objectivo de dar a conhecer aos empresários as potencialidades que as novas estruturas, como o Parque Temático e a Requalificação das Zonas Balneares de São Jorge e Faial, da responsabilidade da Sociedade de Desenvolvimento do Norte, irão trazer para o Concelho; apoios e alternativas de investimentos e a divulgação de Santana na perspectiva Ambiente, Turismo e Agricultura. Este Encontro visa promover um maior investimento dos empresários, já radicados e atrair outros para o Concelho.

12- Organização do Colóquio sobre Turismo Ecológico, com a finalidade de alertar para as potencialidades deste tipo de turismo e promover investimento na diversificação da oferta turística, investindo nos passeios a pé, artesanato, animação turística e no património cultural do Concelho.

13- Participação em Feiras. Feira de Artesanato de São Miguel – Açores. Esta Feira insere-se no âmbito da Economia Solidária que visa promover os trabalhos de pequenos artesãos, fomentando os meios de comercialização do artesanato regional. O encontro de diversas associações, sem fins lucrativos, visou apoiar e viabilizar a comercialização dos produtos dos pequenos artesãos. II Feira Transregional de Economia Solidária – Las Palmas – Gran Canaria, de 10 a 14 de Novembro de 2004, cujo o objectivo foi a promoção e divulgação dos produtos das regiões representadas, valorizando o artesanato local.

14- Promoção de Cursos de Formação Profissional: Curso de Formação Inicial de Formadores, com vista à habilitação de pessoas para prestar formação nas áreas da saúde, protecção civil, contabilidade e gestão e Curso de Técnico Assistente de Geriatria, que teve início a 3 de Janeiro de 2005 e termina a 18 de Julho de 2006 e visa formar recursos humanos capazes de exercerem uma profissão ligada aos cuidados dos idosos.

15- Dinamização do Projecto Idosos em Movimento, que tem como finalidade desenvolver actividades que visem proporcionar aos idosos actividades físicas, promovendo, deste modo, o seu bem-estar.

16- Projecto “Veredas” no âmbito do Programa Comunitário INTERREG III B, visa a promoção de produtos agrícolas do espaço Macaronésio. Pretende abrir caminhos, via Internet, à comercialização dos produtos agrícolas dos três Arquipélagos envolvidos neste Projecto: Madeira, Açores e Canárias. O Projecto tem em vista a classificação e certificação de alguns produtos regionais como sendo de origem e de excelência, a começar pela anona, limão e vinho. Um dos objectivos deste Projecto é a potencialização dos produtos regionais junto de pequenas unidades de turismo rural, que servirão de espaços de divulgação e comercialização dos produtos típicos de cada região.

17- Projecto “Raízes”, O Projecto “RAÍZES” visa melhorar o potencial económico dos mais jovens através da exploração e reorientação dos recursos naturais das zonas rurais, valorizar e transmitir de geração em geração a cultura e a tradição específica de cada região, criar pólos de desenvolvimento económico fora das grandes cidades das três Regiões envolvidas (Madeira, Açores e Canárias) e criar condições para que de alguma forma se possa combater o êxodo rural, possibilitando oportunidades de emprego para os mais jovens, nas zonas rurais,com duas intervenções:


A – Museu do Vinho e da Vinha, O Museu da Vinho e da Vinha, localizado no Campo Experimental de Viticultura do Arco de São Jorge, surgiu no âmbito do projecto Raízes, da iniciativa comunitária INTERREG III B. O projecto do museu é da responsabilidade da Associação Santana Cidade Solidária e da Associação dos Jovens Agricultores da Madeira e Porto Santo, com apoio de outras instituições e visa dar a conhecer a história do vinho e da vinha às gerações futuras e aos visitantes. Os custos da recuperação do espaço e da instalação do Museu foram suportados por Fundos Comunitários.

B – Recuperação Integral de uma Casa Típica de Santana, pois um dos objectivos do Projecto “Raízes” é a recuperação dos costumes e tradições dos três Arquipélagos Insulares envolvidos.

18- Construção do Lar Intergeracional- Pretende-se construir um Lar Intergeracional no Concelho de Santana com uma área de 5000m quadrados, aproximadamente, área que consideramos necessária à criação de um equipamento como o pretendido com a capacidade para 12 crianças e 40 idosos.
A vertente destinada à terceira idade foi pensada na realidade da Região, pois tem se registado, nos últimos anos uma crescente tendência para o envelhecimento da população, e em concreto, na situação do Concelho de Santana, por apresentar um elevado índice de envelhecimento.
A segunda vertente do Lar Integeracional de Santana - espaço para as crianças e os jovens em risco - foi intencionalmente idealizada para a dar corpo a um sonho que muitos idosos têm: serem avós e acompanharem e fazerem parte do processo de crescimento e de aprendizagem dos “netos”. Embora estas crianças não o sejam biológicamente, podem sê-lo ficticiamente mediante o vínculo afectivo estabelecido entre eles. Este laço pode ser sentido como a concretização do desejo de continuidade, oferece a possibilidade de exercer uma variedade de papéis e a oportunidade de interacções significativas. Estas crianças são a força impulsionadora para os idosos da mesma forma que estes são para as crianças um modelo de transmissão de valores e princípios morais, uma referência de conhecimentos e oportunidades de aprendizagem, uma janela para o passado repleto de histórias, vivências e experiências únicas, uma figura que transmite o amor, afecto, o acolhimento e a protecção que estas crianças necessitam, radicando assim uma relação entre gerações diferentes, ou seja, intergeracional.
O Lar Intergeracional de Santana pretende conjugar dois problemas sociais distintos conciliando objectivos, esforços, recursos humanos e contribuir para uma sociedade mais justa, equitativa e solidária.